WORKING DRAFT authorea.com/15869
Main Data History
Export
Show Index Toggle 12 comments
  •  Quick Edit
  • Relatório parcial de pesquisa

    Título do Projeto:

    Ferramentas do Detetive Ecológico: uso e avaliação de modelos com detecção imperfeita

    Responsável:

    Paulo Inácio de Knegt López de Prado

    Instituição-sede:

    Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo

    Equipe:
    • Carlos Ernesto Candia-Gallardo, Pós-graduação em Ecologia IB–USP

    • Gregório Menezes, consultor autônomo

    • Gustavo Mattos Accacio, consultor autônomo

    • Leonardo Liberali Wedekin, Pós-doutorado IB–USP

    • Rodolpho Credo Rodrigues, Pós-graduação em Ecologia IB–USP

    • Karlla Barbosa dos Santos, Bolsista TT-III FAPESP

    • Melina de Souza Leite, Especialista em Laboratório, IB–USP

    Processo:

    2013/19250-7 Auxílio Pesquisa - Regular

    Vigência:

    01/02/2014 a 31/01/2016

    Período deste relatório:

    01/02/2014 a 30/01/2015

    Resumo do projeto

    Contexto e objetivo geral

    \label{sec:contexto}

    O desenvolvimento e aplicação de teoria ecológica depende de estimativas não-enviesadas e precisas da ocorrência, tamanho e taxas vitais de populações naturais. Há uma percepção crescente de que tais estimativas são fortemente afetadas por erros de observação, dos quais as falsas ausências são o exemplo mais óbvio. Assim, o pressuposto de detecção perfeita ou invariável de espécies e indivíduos tem sido fortemente questionado, bem como os resultados que dele derivam. Em resposta a esse problema desenvolveu-se um formalismo de modelos estatísticos que separa dois níveis de variação dos dados: a camada de observação e a camada do processo biológico. Os modelos hierárquicos com detecção imperfeita são resultado desse formalismo. Têm implementações computacionais acessíveis a ecólogos, e podem ser aplicadas em muito mais casos do que têm sido. Por outro lado, essa nova abordagem envolve procedimentos estatísticos mais complexos e um maior esforço de amostragem. Assim, é necessário avaliar os ganhos efetivos dos modelos com detecção imperfeita em diferentes tipos de pesquisas ecológicas. O objetivo desta proposta é usar estimativas de ocorrência, abundância e taxas vitais de espécies obtidos com modelos de detecção imperfeita em três estudos de casos que juntos abrangem testes sobre estrutura e dinâmicas de populações e comunidades, em aspectos teóricos e aplicados. Além da importância teórica e aplicada dos estudos de caso em si, vamos avaliar a sensibilidade dos resultados e conclusões à adoção da abordagem de modelos com detecção imperfeita.

    Objetivos específicos

    \label{sec:especificos}

    1. Testar se mudanças temporais na abundância relativa e diversidade de borboletas nectarívoras de subosque são condizentes com previsões da Teoria Neutra ou com previsões de modelos baseados em nicho.

    2. Investigar se a correlações entre a diversidade de estratos da vegetação e diversidade de aves de cerrado é explicada pelos padrões de uso e sobreposição de uso desses estratos pelas aves.

    3. Investigar os efeitos de flutuações climáticas a nível global na dinâmica populacional das baleias-jubarte que usam as águas brasileiras como área de reprodução.

    4. Avaliar o impacto do uso das estimativas com detecção imperfeita sobre as conclusões obtidas no três estudos de caso acima.

    Resultados do período